27º em São Paulo
Introdução à rotina escolar

Introdução à rotina escolar

Acordar, dormir, brincar, tomar banho, estudar, ir à uma festa, passear na casa da vovó, hora da refeição! Essa maratona faz parte do cotidiano de muitas famílias brasileiras, mas o estresse pode ser evitado se houver uma rotina bem definida, beneficiando muito a qualidade de vida dos pais e crianças.

A sobrecarga e cansaço podem acometer também os pequenos: evite o excesso de atividades e priorize as pausas para descanso e tempo livre, principalmente em idade escolar. Uma rotina regrada pode ajudar e muito as crianças, incluí-las na preparação e programação também é uma maneira de estimular a convivência em família e despertar a autonomia e confiança, por exemplo: preparar a mochila da natação, lancheira, ajudar o irmão ou irmã. “A rotina dá segurança para a criança. Ela introduz um parâmetro para que a criança não se sinta “desprotegida”, ensina a Psicóloga e Educadora Social, Vera Regina Decarli.

Estímulos visuais como um mural que sirva de “agenda”, onde a criança possa ver as atividades e ser premiada por completá-las, é uma ótima dica! Cuidados, como garantir as horas de sono recomendadas a faixa etária do pequeno, boa alimentação e uma ocupação que seja da preferência da criança, contribui para o seu comportamento e desenvolvimento na vida escolar:

“Se a rotina for inserida desde “bebê”, ele saberá a hora que as coisas vão acontecer:

1º – Faça com ele e por ele;

2º – Esteja com ele e os dois farão a atividade;

3º – Deixe que a criança faça a atividade e você fica perto;

4º – Incentive-o a fazer sozinho e deixe que ele execute a tarefa, incentive a cada passo dado.

O ser humano aprende pelo fazer e repetir.  Se a criança tem uma rotina, esse processo de repetição, dia após dia, fazer as mesmas coisas nos mesmos horários,  cria o hábito e a aprendizagem. Falando puramente de processos “mecânicos” como escovar dentes.  

A rotina bem definida auxilia também os pais a lidarem melhor com as situações que os acometem na vida adulta, caso ocorra algum imprevisto no trabalho, atrasos, de saúde, saberão resolver com mais facilidade sem grandes alterações no cotidiano da criança. Evitando choro, irritabilidade ou chateação.

As atividades “extraclasses” também são importantes: os pais devem ter flexibilidade para observar e compreender as necessidades da criança e, dar atenção ao que elas relatam no seu dia a dia. Ampliar as fronteiras de seu universo lúdico, o contato com a natureza e o brincar serão essenciais para sua formação e para demonstrarem sua inteligência, e curiosidade, e expressar ideias e sentimentos e toda essa memória os acompanhará para toda vida, então papais e mamães de plantão: brinquem muito com sues filhos. “A criança precisa do brincar para várias coisas, seja para através do lúdico expor seus pensamentos, ou para socializar com outras crianças e assim aprender “regras” do viver em comum.  A criança precisa mais da presença de outro ser humano e menos da internet”. Desafios, frustrações, novos ambientes e pessoas, a criança passará por muitas adaptações até que tenha maturidade para enfrentar e se responsabilizar pelas suas próprias tarefas e a vida escolar é só uma pequena parte dessas etapas.

 

Fonte:

Vera Regina Decarli

Formada em  psicologia  e  educação social.

Pós graduação em teste  Rorschach , psicopedagogia e PBO (psicoterapia breve operacionalizada)

Veja mais:

Voltar
Carregando...